Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


25
Out13


 Nascida em Lisboa. Criada em Almada, no “lado esquerdo do Tejo, no lado certo da vida”. 

Aluna de cadernos irrepreensíveis e um medo irracional que me passassem a bola. 

Cheia de certezas absolutas, perdidas na idade adulta. Trabalhei em (quase) tudo. Trabalhei muito. 

Fui estagiária e escrevi legendas. Viajei e escrevi manchetes. 


Perdi-me , reencontrei-me, voltei a perder-me. Fiquei desempregada. Decidi (re)aprender a viver.


Produzo conjugações de caracteres. Com muitas formas. 

Aquilo que mais gosto: escrever histórias. Histórias de amor. Seja qual for a forma de amar. 


Sou mãe, apaixonada, orgulhosa, galinha e chata, de dois rapazes. 

Sou a mesma miúda de Almada que ouvia músicas em repeat num quarto desarrumado com vista para o Tejo. 

Sou suburbana, mimada e menina-do-meu-pai. Sou vossa mãe. Com pronome possessivo. É essa a minha essência.


É esta a descrição que Catarina faz de si. Leio, volto a ler, uma e outra vez. É isto, é isto mesmo. É esta a essência da Catarina, ou Lady Mãe (para quem, como eu, a lê há muitos, mesmo muitos anos).

 

Atenta, observadora, calma, serena. A expressão facial de Catarina tem doçura, tem sempre doçura. E tem paciência e é coerente  na forma como acalma uma birra do Afonso. Percebe-se que é genuína, simples, fácil de se gostar.

 

Gonçalo e Afonso, os filhos mais adorados deste planeta. Os seus dois grandes amores e a motivação para querer ser todos os dias feliz. Tentar, pelo menos.

 

Da mesma forma simples, objectiva e sem floreados com que fala de si e da sua vida, Catarina aplica este conceito de vida ao seu dia-a-dia. Quanto mais simples e rápido melhor.


Receitas de panquecas de legumes (da Chef Mafalda Pinto Leite) e costeletas (o prato que Gonçalo elege como o melhor que a mãe faz) são as duas receitas que tem prontas para nos dar.


Afonso gosta de comidas mais condimentadas, Gonçalo das mais simples. No dia-a-dia há sempre sopa pronta e fruta descascada.

 

Catarina gosta de fazer compras no Mercado de Campo de Ourique e nos Supermercados Brio. É uma acérrima defensora da troca de bens e da vida em comunidade, do comércio justo e de dar um bom destino às coisas que já não quer/usa, em troca do que lhe faz falta.


A gestão de tempo da Catarina depende das rotinas do Afonso. Normalmente acorda às 7h, com o filho mais velho, ajuda-o a tratar de tudo antes de ir para as aulas e depois volta a dormir. Acorda com o Afonso pelas 10h e a partir dessa altura organiza as coisas da casa, a sua agenda, as voltas e saídas com o Afonso.


O seu trabalho divide-se, agora, entre as crónicas que escreve para diferentes jornais, o projecto que divide com o fotógrafo Tiago Figueiredo (Loove) e, o mais recente amor, o Our Story, onde acrescenta caracteres queridos às fotografias lindas da talentosa Mariana Sabido.

 












-  Quem é o Chef lá em casa e porquê

Lá em casa quem manda sou eu. Mas na cozinha faço as melhores costeletas do mundo [diz o meu filho mais velho], panquecas de legumes [obrigada Mafalda (Pinto Leite)] e panquecas doces. Quando queremos especialidades vamos ao nosso restaurante preferido “O Bitoque”, em Campo de Ourique e pedimos ao “nosso” Chef: bife raspado, língua estufada, filetes de linguado ou bifinhos de perú grelhados e as maravilhosas farófias.

 

-  Que tipo de refeições costumam preparar durante a semana / e ao fim de semana

Regras há apenas duas: durante a semana há sempre sopa e todos os dias há fruta descascada pela casa, sempre há disposição. Depois depende dos dias: eu faço peixe cozido com batata, cenoura e grão, costeletas com arroz ou variações disto, bifes de frango com massa ou bifinhos de peru com cuscus. Também gostamos de soja e seitan. Costumo fazer a comida para o almoço e fica para o jantar. Outras vezes vamos ao restaurante buscar comida. Às vezes o Gonçalo pede e vamos buscar umas caixas de sushi para comer em casa. A ideia é simplicidade. Comer é um prazer e, para mim, não pode ser um stress.

 

-  Como é feito o regresso às aulas/ que preparação fazem

estes dias de Setembro são vividos com a nostalgia e a ansiedade de uma festa de final do ano. Escrevi tudo aqui [link - http://www.pumpkin.pt/dicas/regresso-as-aulas/festa-de-ano-novo]

 

-  Como fazem a gestão de tempo entre trabalho, família e casa

A base da nossa gestão é o horário do filho maior e as sestas do filho mais pequeno. Eu trabalho em casa. Habitualmente escrevo quando os meus miúdos já estão a dormir, deito-me bastante tarde. Ás sete estou acordada para ajudar o filho grande a sair para a escola e, confesso, volto para a cama enquanto o mais pequeno ainda dorme. Vamos ao jardim, vamos às compras, preparamos o almoço, brincamos, vamos buscar o mano, fazemos trabalhos de casa, estudamos, vamos às outras atividades e voltamos a brincar. Jantamos cedo mas a hora de dormir nem sempre é tão cedo como me daria jeito para começar a trabalhar. Mas são dias cheios e muito doces. Nos dias em que tenho trabalhos que me ocupam o dia inteiro a 100% peço ajuda à minha mãe e aos pais dos meus filhos.

 

- São uma família mais doce ou mais salgada

Somos doces. Não estamos sempre bem dispostos: há neuras, há birras, há cansaço. Mas somos sempre muito agradecidos pela sorte que temos.

 

-  Se cada um dos elementos da família fosse um ingrediente qual seria e porquê

Gonçalo – seria uma panqueca de legumes porque é suave mas depois tem muitas texturas e surpresas em cada dentada, porque é infinitamente saboroso e saudável.

Afonso – seria uma laranja. Difícil de descascar mas muito doce [e o primeiro líquido que bebeu sem ser leite da maminha].

Eu -  sou uma pera abacate: às vezes verde, amarga e dura, outras vezes madura, suave e fácil de “desfazer”. A casca é sempre um bocadinho áspera mas quem gosta, gosta mesmo.


- Quem vos inspira na cozinha

O apetite. Não há exercício melhor que pensar “o que é que me apetece comer?” e concretizar. Tento que seja assim todos os dias.

 

- Chefs que gostam mais

Nigella, porque me revejo na forma como saboreia aquilo que cozinha;

Mafalda Pinto Leite, porque faz receitas que sou capaz de seguir;

Andy Bates, porque sou uma fã de food street [por mim morava em qualquer um dos mercados de comida em Londres e comia pies sem parar].

 

- Lvros, o que têm em casa, o que aconselham

Guardo as Teleculinárias do Mestre Silva e tenho todos os livros da Mafalda Pinto Leite. Tenho também o livro de Eugénia Varatojo [uma mestre na culinária macrobiótica]: “Tudo o que comemos conta”.

A minha predição são blogs de culinárias, fico fascinada. Se tivesse que escolher: www.cincoquartosdelaranja.com e macroexotic.com [este ultimo não é de culinária mas faz-me sonhar vive rem Leiria para ter este serviço de take away].

 

- Se esta família fosse um bolo seria.... e porquê

Seríamos um bolo de panquecas. Muitas camadas intercaladas com geleias de muitos sabores e polvilhado com açúcar e canela.

 

 

Textos Sofia Castro Fernandes

Produção e Edição Gráfica Ana Coelho Duarte

Fotografia Mariana Sabido

Design Filipa Simões Freitas

 

 

Fotografia Rita Barreto


A nossa curiosidade vai para este Our Story, o conceito que uniu (mais ainda) Catarina e Mariana e que faz a diferença na história de vida de uma família.

 

É muito raro as pessoas terem um registo das suas vidas. No Our Story a ideia é que as pessoas percebam que as fotografias marcam as histórias das pessoas para todo o sempre.

Catarina e Mariana conhecem-se há seis anos. Mariana diz que o que mais gosta na escrita da Catarina é a simplicidade das palavras, a clareza do vocabulário. A ideia de que qualquer um de nós, se soubesse articular assim as palavras, podia ter escrito aquilo.


As histórias contadas por Catarina, através da lente da Mariana, vão desde a história de uma gravidez, à dos amigos de uma infância, aos avós e aos laços que contam histórias, aos casamentos que, por si só, dão uma história... o que fizer sentido incluir num conceito de família e de guardar para recordar sempre.

 

Todas as histórias merecem ser contadas. Bem contadas. Para que fiquem sempre e para sempre como uma boa parte de nós.

Our Story é um conceito que vai além de uma caixinha de música das recordações, é um projecto que cria laços entre as famílias. É um projecto de amor e para o amor.

 

Our Story é um livro que guarda os tesouros da sua vida, da vida de quem mais gosta, da vida da família inteira.
São as imagens que tornam eternas as memórias de um momento e as letras que registam os pormenores que não queremos esquecer.
Our Story é um tesouro. Imagens e palavras que guardarão, para sempre, uma história.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


1 comentário

Sem imagem de perfil

De Isa a 08.01.2014 às 11:33

O agar-agar onde se encontra à venda? Será que o celeiro tem?

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D