Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

05
Mar14

Marta Valente

É autora de um blog muito bonito, cheio de bom gosto e de nome tão original: It’s Monday, but it’s ok. E a ideia que esta família nos transmite é mesmo essa: de bem com a vida, de atitude positiva, paixão pela família e pelas coisas mais simples.

 

Fomos tão bem recebidos na casa da Marta Valente que podíamos ter passado a tarde toda a conversar, a beber groselha e a comer o delicioso Crumble de maçã e pêra.

 

A Maria (3 anos) e o Vasco (1 ano e meio) fizeram a festa. São lindos, super simpáticos, expressivos, curiosos, tão queridos e estiveram sempre atentos à mãe e à ajuda que lhe queriam dar na confecção desta receita.

 

A vida profissional da Marta, ligada aos números, nada tem a ver com o lado mais doce, mais criativo, mais colorido que enche de vida o seu blog e os seus dias. Fala sempre com um sorriso na cara, de forma pausada, doce e apaixonada desse seu lado tão marcante que é a paixão pela decoração. É compradora compulsiva de revitas e livros de decoração e tem na sua casa o melhor espelho do seu bom gosto: irrepreensível.

 

As rotinas em casa da Marta e do Rui, o pai da casa, tão atento e tão simpático, são simples, bem definidas, para criar estabilidade e gerir de forma estruturada, com apoio a um plano de refeições, estrategicamente colado ao frigorífico, o tempo. O grande objectivo da Marta e do Rui é canalizar todas as energias do final de cada dia para as brincadeiras e atenção para a Maria e o Vasco.

 

Ao fim-de-semana passam muito tempo em família, gostam de receber a família grande que têm e de preparar boas receitas. Definem-se como bons garfos e têm como rotina boa dos domingos fazer pic-nic de scones na sala.

Foi uma óptima manhã de domingo na companhia da nossa Baker querida e da sua linda família. Adorámos.

 

- quem é o Chef lá em casa e porquê

 Somos os dois: sou eu que cozinho os nossos pratos habituais e é o Rui que se aventura em novos ingredientes, novos sabores e experiências.

 

- que tipo de refeições costumam preparar durante a semana / e ao fim de semana

Para o dia-a-dia recorremos a um conjunto de pratos habituais que sabemos que resultam e que os pequeninos gostam: ervilhas com ovos escalfados, massa de salmão, tomate e mozzarela, tarte de atum, bolonhesa, massada de peixe (que a minha cunhada faz maravilhosamente e nós copiamos). Comemos sopa todos os dias, sendo que o Rui e eu nunca nos fartamos de sopa de tomate. Ultimamente, também andamos com uma quase obsessão por miso, a sopa japonesa, e temos feito umas duas vezes por semana. É reconfortante, faz lindamente à saúde e os pequeninos adoram beber a sopa por palhinha!

 

No fim-de-semana, fazemos muitas refeições com a família alargada, o que é óptimo porque temos cozinheiras maravilhosas, como a minha Mãe (a melhor de todas) e a minha cunhada. Nesses almoços e jantares comemos coisas tão elaboradas como tajine de borrego, bife Wellington, pavlova de chocolate e framboesas, triffle. É muito bom!

 

- como é feito o regresso às aulas/ que preparação fazem

Como a Maria só entrou este ano na escola e o Vasco ainda é pequenino, ainda não temos propriamente uma rotina programada. Mas eu adoro o regresso às aulas, para mim é o verdadeiro recomeço do ano.

 

- como fazem a gestão de tempo entre trabalho, família e casa

A semana passa a correr, como em todas as famílias… de manhã é tudo muito rápido, quando conseguimos sair de casa até respiramos de alívio! No final do dia nunca ligamos a televisão, o tempo é tão pouco que não se pode perder… jantamos os quatro e lemos várias histórias com os pequenos. Às nove eles já estão a dormir e nós temos um par de horas para conversar, trabalhar, fazer posts (no meu caso) ou ver uma série juntos. Os fins-de-semana são passados entre as actividades dos pequenos, almoços com a família e passeios por entre os jardins, parques e praia com os amigos.

 

- são uma família mais doce ou mais salgada

Somos uma família em que toda a gente gosta de comer, mesmo os pequeninos comem de tudo! Nunca dizem que não a nada, experimentam tudo e gostam dos sabores mais difíceis (mesmo roquefort)! A minha filha e eu talvez sejamos mais viradas para os doces... eu acho que vivia alimentada de gelados do Santini e chocolate belga! O Rui nem olha para os doces se os salgados forem bons.

 

- se cada um dos elementos da família fosse um ingrediente qual seria e porquê

O Rui, um queijo da serra, intenso e forte,

A Maria, um gelado. Doce, alegre e fresca,

O Vasco, uma framboesa. Lindo e perfeito, às vezes doce, às vezes amargo,

A Marta, chocolate belga, porque comeu tanto quando vivia em Bruxelas que lhe corre nas veias! 

 

- quem vos inspira na cozinha

 A minha Mãe, sem sombra de dúvidas.

 

- chefs que gostam mais

Gostamos das receitas da Mafalda Pinto Leite, do José Avillez e do Jamie Oliver. Mas cada vez sigo mais blogs de cozinha, o Cinco Quartos de Laranja, da Isabel Zibaia Rafael e o No Soup for You, da Susana Gomes, por exemplo.

 

- livros, o que têm em casa, o que aconselham

Temos alguns da Mafalda Pinto Leite porque têm receitas muito fáceis de aplicar no dia-a-dia, mas também têm receitas mais elaboradas e requintadas. O Velocidade Colher, da Susana Gomes, também é óptimo porque tem receitas para a bimby, nossa ajudante todos os dias. E de vez em quando peço emprestado à minha Mãe o livro da Sophie Dahl, que tem receitas muito reconfortantes.

 

- se esta família fosse um bolo seria.... e porquê

Um bolo com doce de ovos por dentro e macarrons de chocolate por fora. Exactamente como o bolo do nosso casamento!


 

 

 

Textos Sofia Castro Fernandes

Produção e Edição Gráfica Ana Coelho Duarte

Fotografia CV Love
Design Filipa Simões Freitas

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


Mais sobre mim

foto do autor


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D